A diversidade cultural das memórias e as comunidades (I)

Usar as ferramentas da educação patrimonial para estimular a participação das comunidades, naquilo que Hannah Arendt chamou a ontologia política da comunidade, exige estar atento aos processos em jogo no espaço e no tempo, ao papel dos atores e das diferentes organizações. O campo da memória histórica do Estado é por isso um espaço deContinuar lendo “A diversidade cultural das memórias e as comunidades (I)”