Arquimedes da Silva Santos e a Escola Superior de Educação pela Arte

Nascido em 1921 na Póvoa de Santa Iria de profissão médico, é uma das figuras de referência da introdução do tema da “Educação Pela Arte” em Portugal, influenciado pela obra de Herbert Read.

Faz a licenciatura em Medicina e o curso de Ciências Pedagógicas em Coimbra que termina em 1952, tendo sido um faz figuras pioneiras em Neuropsiquiatria Infantil na Ordem dos Médicos. Ainda em Coimbra participa o grupo da Revista Vértice, de que é fundador, tendo-se envolvido em várias atividades culturais, nomeadamente no teatro e literatura, sendo um dos pioneiros do movimento neorrealista, colaborado com o “O Diabo”, o “Mensageiro do Ribatejo”, o “Sol Nascente”, e a “Seara Nova. Ainda em Coimbra é influenciado pela ação política tendo colaborado com o Movimento de Unidade Democrática – MUD. Ao longo da sua vida mantyerá relações com o grupo neorrealista de Vila Franca de Xira, (Alves Redol, Carlos Pato, Garcez da Silva, Júlio Graça ou Bona da Silva), vindo a ser já no século XXI um dos membrso fundadores do museu do neorelaismo.

No final dos anos cinquenta foi Bolseiro do Governo Francês para aperfeiçoamento em Pedopsiquiatria e Psicopedagogia na na Sorbonne, onde obtém o diploma de especialista. Ao regressar a Portugal é colaborador regular da Fundação Calouste Gulbenkian como investigador e professor no Centro de Investigação Pedagógica do Instituto Gulbenkian de Ciência.

Foi fundador, professor e presidente do Conselho Pedagógico da Escola Superior de Educação pela Arte do Conservatório Nacional de Lisboa, instituição que a partir de 1974 integra a Escola Superior de Dança do Instituto Politécnico de Lisboa.

A sua colaboração com a Fundação Gulbenkian com o trabalho de Madalena Perdigão no ACART, foi um dos trabalhos pioneiros que leva a constituição de várias associações e intervenção ligadas ´Educação pela Arte e à relação entre Arte-Educação.