Educação Patrimonial, Empreendedorismo Cultural e Turismo de Conhecimento

Este projecto surge na sequência do projeto iniciado pela SPHARA MUNDI/Museu do Mundo, em 2012, na Cidade Velha, com protocolo assinado com a CMRGSantiago e enviado, em 2013, à Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO (CNU) – Educação Patrimonial, empreendedorismo e turismo de conhecimento – que se desdobrou em 2 sub projectos: i) Educação patrimonial vs. Empreendedorismo cultural e Turimo de Conhecimento – ambos resultantes da necessidade da valorização e dinamização do estatuto atribuído à Cidade Velha, como Património Mundial, por parte das comunidades locais e da urgência do estatuto atribuido ser gerador de rendimento sustentável para as comunidades locais – tendo em conta, por um lado, a necessidade que os mais jovens apropriem e valorizem o seu património local e, por outro lado, que as comunidades retirem benefícios diretos para o sustento das famílias, tendo em conta a elevada taxa de desemprego e pobreza da população do Municipio da RGS.
Assim, o projecto iniciou-se por um conjunto de ações de sensibilização com as escolas/alunos, técnicos, artesãos e comunidade em geral, sobre o património material, imaterial e natural, existente na Cidade Velha (que decorreu durante 3 anos – em 2 sessões por ano), realizadas pela SPHAERA MUNDI/Museu do Mundo, muitas delas em parceria com a CNU e a CMRGS, tendo-se produzido materais de divulgação, entre eles “Nós Património Nós”, em parceria com a empresa Lima Limão (CV) e o Tó Gomes Photografy e, também a recuperação da Escola da Cidade Velha (2016) em parceria com a empresa Editrave.
O projeto, em parceria com o Instituto Marquês de Valle Flor, estendeu-se à Ilha do Maio e a S. Tomé e Principe.

Inspira-te, património criativo

Com o objetivo de consolidar o trabalho realizado com as escolas e comunidade (ações de sensibilização do património com as escolas, aretesãos e técnicos) mas, também,
estender a valorização deste Património da Humanidade para além das fronteiras da Cidade Velha, a SPHAERA MUNDI, apoiado pela CNU, organizou um conjunto de cadernos para escrever e pintar (caderno criativo) – Inspira-te, património criativo.
Os desenhos para colorir, com as suas perguntas de partida, inspiram à pesquisa, ao encontro com a comunidade local, na procura de respostas que permitam a organização de textos escritos pelos alunos, sobre cada desenho apresentado. As imagens do caderno criativo, que se inspiram nos desenhos realizados pelos alunos no trabalho realizado ao longo de 5 anos) apresentam temas ligados ao património, que vão desde a descoberta da História e das estórias do pelourinho, da cimboa, do imbondeiro, do Vale Verde e da tabanka, entre outros – cadernos (num total de 1500 exemplares) que serão distribuidos pelas escolas, prevendo-se, numa 1º fase, uma ação direta com as escolas do ensino Básico do Municipio, estando envolvido, deste o início, o Ministério da Educação.
Durante os 5 meses que decorreu o trabalho de organização do “caderno para escrever e pintar” incentivou-se um jovem local para aplicar as suas competências artísticas na área do património, como forma de rentabilidade económica tendo, de momento, constituido a sua própria empresa, aprofundando o trabalho sobre a temática.
Para a realização deste trabalho estão previstas ações de sensibilização/ formação na área de trabalho de projeto, para professores (40), para que os cadernos se constituam como desafios que a leitura, a escrita, a arte e o património promove.

Empreendedorismo cultural

Dando resposta ao 2º eixo do projeto – empreendedorismo cultural e turismo de conhecimento, os desenhos para colorir servem de repto para a construção de novos desenhos feitos pelos alunos, sobre os temas. Estes desenhos constituem a base para a organização de moldes e para a confeção de bonecos a serem produzidos pelas mães dos alunos ou outras mulheres da comunidade local e que servem de fonte de rendimento para as famílias.
Toda esta dinâmica, para além de fomentar a ligação escola-família, pois pretende-se um trabalho articulado entre os alunos e os pais, constitui-se, com a venda dos bonecos,
uma fonte de rendimento para as mães/famílias, o que permite que o património se constitua como um fator de rendimento direto, fomentando uma cultura criativa com base no saber fazer tradicional/local.
Para a realização deste trabalho realizou-se uma formação, com uma especialista na produção de moldes originais, com artesãs, dando um novo visual atraente aos bonecos produzidos pelas crianças, que serão vendidos em embalagem concebida para o efeito, acompanhados de uma pequena estória explicativa, factor determinante para que o turista conheça a história e as estórias locais, fomentando um turismo de conhecimento.
A SPHAERA MUNDI apresentou uma candidatura, em 2016, ao “fundo a pequenos projetos” à Embaixada de Portugal em Cabo Verde/Cooperação Portuguesa, tendo obtido o financiamento para a realização da formação que decorreu de 28 de março a 8 de abril, no qual se produziram no total de 7 personagens nesta 1º coleção: pescador, peixeira, agricultor, batucadeira, embondeiro, passarinha, pirata(s)

Projeto que a SPHAERA MUNDi convidou como parceira a born:africa com o projeto

storia:storia

1º eixo
Resultados alcançados: sensibilização e trabalho direto com alunos, artesãos, professores e técnicos;
Resultados alcançados: cadernos criativos sobre várias temáticas produzidos e distribuidos, formação para professores, ação com 60 alunos.

Eixo 2: formação para mulheres, produção de moldes de bonecos diferentes, produção de personagens simbólicos do património cultural de vários locais para venda e edição de um e-book/livro e outros meios de divulgação.
O projeto pode contar ainda com a conceção de outros produtos dentro da lógica descrita e prevê-se, caso se obtenha apoios, estende a outras regiões.
Turismo de conhecimento
Organização de roteiros temáticos
Circuitos Histórico-cultural, de natureza e circuitos literários – conforme o descrito no projeto Museu do Mundo com imagem concebida pela empresa Lima Limão