Suão

Suão ou sueste é vento quente que sopra das areias do grande deserto do Sahara. Anuncia-se através de uma nuvem de poeira que se levanta dos lados nascente, encapelando o mar, na costa algarvia. Ondas quentes de três a cinco metros que se arremessam com fúria sobre o areal. Simultaneamente uma humidade pegajosa toma contaContinuar lendo “Suão”

XXVII – “Algo vai mal no Reino da Dinamarca” (O Lugar dos Museus de Portugal no Mundo XI)

Celebra-se hoje o Dia Internacional da Diversidade Cultural para o Dialogo e Desenvolvimento ( World Day for Cultural Diversity for Dialogue and Development . “Algo vai mal no Reino da Dinamarca” escreveu William Shakespeare, em Hamlet no fim do seculo XVI. (no original: «Something is rotten in the state of Denmark. Repostava então o personagemContinuar lendo “XXVII – “Algo vai mal no Reino da Dinamarca” (O Lugar dos Museus de Portugal no Mundo XI)”

XXVI – Museus e África (O Lugar de Portugal no Mundo X)

A África que conhecemos ou que ouvimos falar é hoje uma narrativa criada no nosso passado colonial, entretanto temperada como outras narrativas construídas nestes últimos de tempos pós-coloniais. Neste nosso olhar sobre um continente, confrontamo-nos hoje com as narrativas dos vário pensadores africanos. Pensadores que pensam a partir de África (dos seus lugares de cultura)Continuar lendo “XXVI – Museus e África (O Lugar de Portugal no Mundo X)”

Desconfinamento dos Museus e Lugares patrimoniais

A hora da verdade aproxima-se. Dentro de alguns dias os museus e lugares patrimoniais irão reabri as portas ao público. Simbolicamente foi escolhido o dia 18 de Maio, dias Internacional dos Museus. Talvez seja de fazer deste dia um dia de festa para pensar o futuro. E ainda que seja 2ª feira, dia tradicional deContinuar lendo “Desconfinamento dos Museus e Lugares patrimoniais”

Poética da autonomia VII – Redundâncias

Interrompemos a séria de análise sobre a realidade internacional com um postal sobre o recém relatório do NEMO, uma rede europeia de organizações de museus, sobre o impacto da crise nos museus. Temos vindo a abordar a questão do impacto nas organizações culturais, e mais à frente retomaremos essa reflexão quando abordamos a questão dosContinuar lendo “Poética da autonomia VII – Redundâncias”

Poética da autonomia V – Potencias

Falamos no postal anterior, a propósito duma leitura atualizada do real num mundo dinâmico e complexo. Salientamos em particular os processos de transformação do sistema mundo que após o final da guerra-fria (mundo bipolar) se tinha reconfigurado em multipolar. Colocamos como hipótese de análise que estava a emergir um mundo onde os atores exploram fraturaContinuar lendo “Poética da autonomia V – Potencias”

Memórias dum Mundo Perdido

Será a cultura relevante para a resolução da crise do COVID 19? Com esta questão procuramos interrogar a completa ausência da cultura nos discursos sobre a crise. É certo que há muita atividade cultura nas plataformas digitais. Artistas, cantores, leitores, ultrapassam o isolamento e o encerramento dos equipamentos, criando espetáculos virtuais. Museus disponibilizam visitas virtuais.Continuar lendo “Memórias dum Mundo Perdido”

Can the museum be defined?

In recent days museologists have been agitated. In about 100 words or just over 600 characters, the ICOM General Council has proposed to the museological community to revise the current concept, which except in error dates back to 1985. About this concept has been published several critical has been made which we published yesterday, thatContinuar lendo “Can the museum be defined?”

Maconde Wood Sculpture in Mozambique

Makonde Art and Political History of Mozambique (1950-1974) by Lia Laranjeira Published by publisher Intermeios, in Maputo in 2018 I discovered in the old Minerva Bookstore in Maputo, is a publication of the doctoral thesis in the postgraduate program of Social History of the University of São Paulo. It is an interesting book in thatContinuar lendo “Maconde Wood Sculpture in Mozambique”