Gonçalo Ribeiro Teles e a Paisagem

Sobre a Casa dos Vinte e Quatro em Lisboa a a paisagem de Lisboa em Encontos do Património Ideias .Unidades de Paisagem – .Colocar a paisagem em contexto e em relação .Olhar o outro para integrar .A paisagem como construção no tempo e no espaçao As paisagens com história. Como é que a paisagem seContinuar lendo “Gonçalo Ribeiro Teles e a Paisagem”

Vinhos: Museologia e Globalização V

1.3.3. Saborear e desfrutar paladares A última e decisiva prova é saborear o vinho e apreciar os seus balanços. Para provar, não é necessário um copo cheio. Basta um gole, para tirar as medidas ao vinho. Dá-se um pequeno gole e passeia-se vinho na boca só o tempo necessário para sentir o seu sabor espalhadoContinuar lendo “Vinhos: Museologia e Globalização V”

VINHOS- Museologia e Globalização – IV

Aromas e cheiros Se na apreciação da cor e da luminosidade os olhos fazem uma leitura preliminar, é agora tempo de mobilizar o seu aroma. O olfato permite-nos capturar o carácter do vinho. Para apreciar o aroma vínico basta agitar o copo para libertar os seus aromas. Cheire o copo por alguns instantes. Um bomContinuar lendo “VINHOS- Museologia e Globalização – IV”

Os equívocos de Luís Raposo no “Arte Capital”

Tenho por Luís Raposo uma elevada estima e reconheço o seu contributo para a museologia portuguesa (talvez deva dizer para a causa dos museus portugueses). Num artigo recentemente publicado na Arte Capital  apresenta, quanto a mim dois equívocos e uma constatação, que se não me engano são motivadas pelo recente “procedimento concursal” para diretores deContinuar lendo “Os equívocos de Luís Raposo no “Arte Capital””

Estatística do emprego na Cultura (Um retrato imperfeito)

Saiu esta semana, depois dum longo período sem haver informações, uma informação estatística sobre o emprego no setor da cultura.  “NOTA ESTATÍSTICA 01/2020 EMPREGO NO SETOR CULTURAL, numa edição do Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais, do nosso MC: A crise do COVID deixou um lastro que agora se começam a ser possível analisar.Continuar lendo “Estatística do emprego na Cultura (Um retrato imperfeito)”

XXX- Educação e Autonomia

Tem-se vindo a falar, nas sequência da afirmações do responsável pela pasta da educação em Portugal, que se equaciona a possibilidade de no próximo ano letivo as escolas do país continuarem encerradas, e o chamado ensino continuar a ser feito à distância, isto é através do atual sistema implantado na crise do COVID19, por viaContinuar lendo “XXX- Educação e Autonomia”

XXIX- Vermelho e Negro

Qual a probabilidade de um dia alguém, desconhecido, lhe oferecer um Ramo de cravos vermelhos. Pequena suponho. Mas nao impossível. O pagamento duma promessa. Um desafio de amigos. Um desejo de fazer algo de irreverente. O que quer que seja é um gesto altruísta, capaz de mudar mundos. Aconteceu em maio em Portugal. Num outroContinuar lendo “XXIX- Vermelho e Negro”

XXVIII– Arte da Xávega

Quando um marinheiro aporta a um porto seguro, regressado das aventuras em mares tropicais, reencontra memórias. São duas linhas que se voltam a cruzar. Linha que tiveram dinâmicas diferentes, independentes, que seguiram linhas e lógicas próprias, reconstruindo as suas memórias. Ao longo do dia de ontem, duas histórias relacionadas com estas velhas histórias, regressaram àContinuar lendo “XXVIII– Arte da Xávega”