Teoria e Prática da museologia

Há uma divisão artificial entre teoria e prática na teoria museológica.

O conhecimento não é um conjunto organizado de categorias. O conhecimento é construído nas relações com os outros.

Intersubjetividade é uma forma de vivier e trabalhar com os outros com intencionalidade.

Há um paradoxo na relação museológica entre a intenção da existência (paradigma da preservação) e a intenção da comunicação (paradigma comunicativos). O resultado dessa relação implica que o resultado final (a exposição dos objetos) é simultaneamente a sua condição inicial (o objeto preservado. Fixado do seu devir).

A intersubjetividade é uma emergência. Não estuda uma relação entre um determinado sujeito e objeto. Não é possível estabelecer uma relação entre o sujeito e o objeto uma vez que através da intersubjetividade se introduzem complexos relacionais. São verbos

as metodologias de trabalho sobre processo: a busca de pontos de correspondência da complexidade (observação participada ou etnografia (descrição do real)

Teoria e prática indivisíveis

Publicado por Pedro Pereira Leite

Dinamizador do Museu Educação Global e Diversidade Cultural Museu Afro Digital - Portugal. Museu da Autonomia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: