Poética da autonomia III –Potestas e Autorictas

Os princípios da Pedagogia Critica para a autonomia expressam-se muitas vezes como uma confrontação com a autoridade autocrática, exaltando o processo de conhecimento crítico. Isto é afirmam-se contra o exercício do poder autocrático, que se manifesta através da exibição ou afirmação da força, sem mediação da deliberação ou participação dos interessados, propondo, como alternativa, oContinuar lendo “Poética da autonomia III –Potestas e Autorictas”

Poética da autonomia II –Utopia

Construir a mudança através da educação autónoma e críticas. Talvez seja uma Utopia, nos termos do célebre livro de Tomás Moro, um “Não-Lugar”. Como contrapartida para o desacerto sobre o conhecimento atual sobre um mundo em transição, confrontando as metodologias que procuram regularidades, assumimos a busca da transitoriedade. Um pensamento nómada. Procuramos uma ilha metafórica,Continuar lendo “Poética da autonomia II –Utopia”

Poética da autonomia I –Distopia

A Crise da Cultura, em Portugal e na Europa é extensa e complexa. No conjunto de postais que efetuamos com o título “Memória dum Mundo Perdido”, no âmbito dum diário imperfeito sobre a Crise do COVID 19 demos conta da distopia que esta crise evidência. As instituições da cultura, enquanto lugares encontro encerraram. As pessoasContinuar lendo “Poética da autonomia I –Distopia”

Memória dum Mundo Perdido XIV – Um futuro crítico para a cultura

Avançamos no postal anterior com a proposta do Rendimento Universal para a Cultura (RUC) . Procuramos contribuir para uma discussão sobre o que está a emergir e como podemos enfrentar e preparar-nos para a mudança através do pensamento crítico para a autonomia. A questão do rendimento Universal tem vindo a ser debatido pelo Banco Mundial,Continuar lendo “Memória dum Mundo Perdido XIV – Um futuro crítico para a cultura”

Memória dum Mundo Perdido XIII – Rendimento Universal para os trabalhadores da Cultura

Nos postais anteriores abordamos as questões de como construímos um pensamento sobre o mundo que se transforma e o mundo em que vivemos. São velhos dilemas teóricos, que por vezes, nas ciências sociais, surgem enunciados como “tensões entre a tradição e a modernidade”, a tensão entre o “uno (singular) e o todo” (complexidade)”, a relaçãoContinuar lendo “Memória dum Mundo Perdido XIII – Rendimento Universal para os trabalhadores da Cultura”

Memória dum Mundo Perdido XII – Problemas Críticos

No postal anterior falamos dos limites do pensamento convergente, procurando explicar como ele influencia as elites na criação de respostas inovadoras para novos problemas. Enunciamos que para isso necessitamos de privilegiar um pensamento divergente. Um pensamento que ultrapassa os limites da “velha” filosofia que alicerça a tecnologia do velho mundo em transição. Necessitamos de olharContinuar lendo “Memória dum Mundo Perdido XII – Problemas Críticos”

Memória dum Mundo Perdido XI – Pontos de ocultação

Nos postais anteriores, a propósito das respostas das elites aos problemas gerados pelo COVID19 no campo da cultura e património. Colocamos a hipótese que estamos perante um novo tempo que exigem novas respostas. Contudo, como temos vindo a observar, verificamos que a europa e as políticas nacionais de resposta à crise mantém “velhas respostas” paraContinuar lendo “Memória dum Mundo Perdido XI – Pontos de ocultação”

Memória dum Mundo Perdido X – Ensino Critico ou Ensino para o mercado

Que respostas para a Crise do COVID 19 no campo da cultura e património? Esta crise evidencia que estamos num momento de transição para um novo mundo, e se assim for necessitaremos de novas ferramentas? Ou pelo contrário tudo isto é passageiro, e passada a crise voltamos às velhas rotinas? Nesta altura talvez não sejaContinuar lendo “Memória dum Mundo Perdido X – Ensino Critico ou Ensino para o mercado”

Memória dum Mundo Perdido IX – The Touchstone

A propósito da resposta à Crise do CIVID 19, temos vindo a refletir sobre as propostas para enfrentar a crise no setor da cultura e património. Identificamos, que em Portugal, tal como na tradição europeia, o processo de enfrentar as crises tem sido “lançar dinheiro sobre os problemas”, e reproduzir as rotinas normais, através daContinuar lendo “Memória dum Mundo Perdido IX – The Touchstone”