Categorias
Educação patrimonial Sem categoria

Poética da autonomia II –Utopia

Construir a mudança através da educação autónoma e críticas. Talvez seja uma Utopia, nos termos do célebre livro de Tomás Moro, um “Não-Lugar”. Como contrapartida para o desacerto sobre o conhecimento atual sobre um mundo em transição, confrontando as metodologias que procuram regularidades, assumimos a busca da transitoriedade. Um pensamento nómada.

Procuramos uma ilha metafórica, construída como um lugar ideal, que não existe, nem nuca existirá. O projeto, como intenção está sempre condenado à sua incompletude.

Será um arquiteto, que projeta um edifício ou uma cidade um pensador de futuros? Um construtor de futuros

Como em todos os percursos há que dar o primeiro passo. Um passo que determina as direções. Mais à frente teremos tempo de corrigir o ritmo e se o quisermos o rumo.

Vamos partir numa navegação à bolina, questionando o mundo das artes e da cultura. Os ventos de abril são favoráveis à exploração.

Por Pedro Pereira Leite

Dinamizador do Museu Educação Global e Diversidade Cultural
Museu Afro Digital - Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.