Categorias
Sem categoria

Nok e Wak

Vermelho e negro. Seria assim, em Kriol, o nome da obra de Standhal. Duvido que o kriol consiga servir para traduzir na integra a densidade psicológica das personagens deate romance fundador do realismo.

Mas se em kriol não existam, talvez, onras literarias escritas, há uma poética na narrativa oral que da vivacidade ao discurso. Todos os discursos em kriol sao vivos e expressivos.

Mas a sua expressividade e linear. Cresce, arredonda se. Pauseia se. Regressa ao crescimento e arredonda se, com frases mais ou menos longas.

Sera que se consegue ter a nuance dual do nok e wal?

Crónica da Guiné #42

Por Pedro Pereira Leite

Dinamizador do Museu Educação Global e Diversidade Cultural
Museu Afro Digital - Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.