Kunsi Balun de si (Crónica da Guiné XVII)

“Tomar conhecimento de si” é o modo tacanho como traduzi uma frase que me foi dita hoje em Bissau por uma quitandeira. Não sei se e assim.que se chama as vendedoras de rua. Aqui, ao longo da rua Oswaldo Vieira, quando se desce em direção ao porto, ao sabado de manhã ha um mercado deContinuar lendo “Kunsi Balun de si (Crónica da Guiné XVII)”