Categorias
Billets

Bruno Latur e a teoria da museologia social

“Reconstruindo o social” é uma das teorias apresentadas por Bruno Latour  sobre os modos como olhamos para o “social”e como entendemos a sociedade. Sendo a Museologia Social um esforço para entender o mundo contemporâneo, vale a pena fazer uma leitura do trabalho de Latur a partir da prespetiva da museologia social:

O argumento fundamental de Latour sobre os fenómemenos “sociais” é o de a narrativa científica constrói um conjunto de conceitos e suposições que conduzem a uma análise equivocada. Segundo Latour quando adjetivamos um fenómeno como “social”, ele é referenciado como um conjunto de elementos estáveis, que podem ser usados para explicar outros fenómenos que por ele são influenciados.

O fenómeno “social” como por exemplo da “museologia social” indica que há um conjunto de fenómenos estáveis (uma museologia tradicional, centrada nos objetos, nos museus e nas coleções), procurando explicar que essa nova museologia social, se constitui como uma resposta a esse “imobilismo”. A museologia tradicional está amarrada a conceitos que devem ser ultrapassados por novas práticas, centradas em novos objetos, em novos espaços patrimoniais, com novas comunidades de partilha ou pertença.

O adjetivo “social” surge assim como uma descrição dum qualquer objeto natural, que pode ser transformado, moldado, influenciados, corrigido. Ou seja, a ideia de museologia social, em vez de descrever apenas um projeto de ação, traduz também um conjunto de pressuposto sobre a natureza do que tem que ser alterado ou transformado pela ação dos atores em sociedade.

Por essa razão, Social é um termo que indica simultaneamente um processo de ação e um objeto isolado na natureza, que se distingue de outros. Museologia social constitui-se como uma prática, que se distingue duma “museologia tradicional”

O argumento de Latour é que esta querela sobre o adjetivo “social” não conduz a uma explicação sobre esse domínio ou campo de ação do “social”. Propõe então um regresso à origem do substantivo “social”, enquanto conjunto organizados de seres humanos, que estabelecem padrões de conexões. Embora se entenda a teoria social de procura da estrutura da organização social como um processo que permitiu consolidar várias explicações sobre o funcionamento da sociedade e dos seus processos de transformação, é hoje necessário regressar a uma certa “pureza” de análise do social, procurando as conexões entre os elementos, ao invés dos elementos em si.

Assim sendo, o que será relevante na museologia social, não são os conteúdos e enunciados dos textos teóricos, mas as práticas e conexões que os atores estabelecem entre si. É nesse pressuposto que cria a sua teoria dos atores em Rede, enquanto “assembleias” sociais que constituem compromisso de práticas.

A teoria do papel do ator permite compreender de forma mais contemporâneo os processo de transição do mundo contemporâneo. È necessário que o pensamento da museologia se liberte das amarras cognitivas das categorias analíticas do passado. O mundo em transformação exige categorias analíticas que capturem os processos de mudança. Entender os futuros que estão já em movimento, ao invés de ficarmos aprisionados das amaras dum passado que se torna cada vez mais distantes.

Bibliografia 

Latour, Bruno. (2005). Reconstruindo o social – uma introdução à teoria do ator em rede, Oxford University Press, 316 páginas.

Por Pedro Pereira Leite

Dinamizador do Museu Educação Global e Diversidade Cultural
Museu Afro Digital - Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.