Categorias
Billets

Um museu é social ou não é um Museu

A propósito do artigo publicado pela Praza

 A museum either is social or it is not a museum!
After the UNESCO-approved Recommendation in 2’15 it is now clear that a museum is either a social museum, that is, it serves the society in which it belongs, or it is not a museum. It could be a galery, a file, a library, a shop or a market, because in all of them it is documented, preserved, communicated and educated. What then sets the museums of these other institutions. It will be very little is certain, and probably the question of not being profitable will be a debate that needs to be aturalizado due to financial sustainability. The question of working with heritage and heritages (natural or cultural) is also very tenuous today. There is little left. That is, the reason for being of a museum is a will to create that makes this equipment escape the logic of the rationality of the gliders and a place of social creativity. this is their main challenge. Know how to dialogue with your time while recognizing the ancient language.

 ————————–

Um museu ou é social ou não é um museu!
Após a Recomendção aprovada pela UNESCO em 2’15 é hoje evidente que um museu ou é social, ou seja está ao serviço da sociedade onde se insere, ou não é um museu. Poderá ser uma galreia, um arquivo, biblioteca, um igeja uma loja ou um mercado, pois em todos estes se documenta, conserva, se comunica e se educa. O que destingue então o museus destas outras instituições. Será muito pouco é certo, e provavelmetne a questão de não ter fins lucrativos será um debate que necessita de ser aturalizado em função da sustentabilidade financeira. A questão de trabalhar com a património e heranças (naturais ou culturais) também é hoje muito ténue. Sobra pouco. Ou seja, na razão de ser dum museu está uma vontade de criação que faz com que este equipamento escape à logica da racionalidade dos planeadores e eja um lugar de criatividade social. é este o seu pricipal desafio. Saber dialogar com o seu tempo sem deixar de reconhecer a linguagem antigo.

Por Pedro Pereira Leite

Dinamizador do Museu Educação Global e Diversidade Cultural
Museu Afro Digital - Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.