Categorias
Leituras

Diversidade Cultural e Economia do Bem Comum (IV)

Plano de ação para o Património Cultural que foi discutido em Berlim em junho deste ano[1] insere-se dentro das ações de reconhecimento da relevância do património cultural para as políticas europeias. É uma questão que está longe de ser consensual, como temos vindo a trabalhar noutros domínios.(Leite, 2015)[2] Um plano de ação europeu é algo que pode ser um trabalho de compromisso interessante. Na prática da conservação do património cultural há várias questões que parecem ser consensuais. A salvaguarda do património classificado, de acordo com as recomendações da UNESCO e no âmbito das normas e boas práticas das organizações internacionais. As políticas de educação patrimonial, de forma a valorizar o conhecimento sobre esse património e como forma de promover a ligação entre o local e o global (europeu). As formas de agir nem sempre são consensuais, mas há indubitavelmente uma dimensão simbólica nas questões patrimoniais que a releva como questão social.

Mas para além dessas boas intenções é necessário que o compromisso na ação implique a participação das comunidades e seja visível no espaço público. A sua visibilidade social será certamente determinante para lhe dar valor. Mas essa visibilidade não pode deixar de ser também um processo de valorização do trabalho criativo que a inovação social e cultural exige.

A questão que vale a pena atentar é o processo como podemos mobilizar a sociedade e os cidadãos. Vejamos como esta questão é trabalhada no texto de Oliveira Martins, que diz:” Importa envolver promotores e beneficiários, do espaço público e da sociedade civil – articulando o investimento na cultura, educação e ciência com os objetivos de coesão social e de desenvolvimento regional, envolvendo cidades, campos, litoral, meio ambiente, turismo, sustentabilidade, mudança climática, investigação e inovação, política digital, educação, objetivos de qualidade e, naturalmente, juventude” (op cit[3]). Engloba tudo e todos: Promotores e beneficiários, numa prespetiva de serviços, em que uns produzem outros consomem. Sendo que esses atores, são do espaço público e da sociedade civil. Não será a mesma coisa mas o que nos parece aqui relevante é ultrapassar esta visão da cultura como um serviço e usar a cultura como processo social.

Ora tem sido frequente discutir a questão das políticas da cultura como políticas públicas. A partir da constituição democrática de 1976 com a consagração dos direitos culturais, que se vão desenhando varias intervenções na sociedade. A entrada nas comunidades europeias, num primeiro momento deixa de lado as questões patrimoniais, que só ganha, relevância no final do milénio, sobretudo por via dor programas de revitalização urbana dos centros urbanos. A prespetiva do turismo e da gentrificção do espaço urbano desencadeia relevantes dinâmicas nestes espaços, favorecendo a atração de atividades criativas e de arte. Também a parti do inicio do Milénio, a criação de políticas públicas culturais leva aos programas de investimento da administração central, criando-se as redes de bibliotecas, arquivos, teatros e outros equipamentos. A rede portuguesa de museus, não leva à criação dum programa de construção de museus, mas procura iniciar um inovador programa colaborativo.

Tudo isto se passa numa clara convergência com as dinâmicas europeias dentro das lógicas do mercado. O papel de estado é nesta capitulo ambíguo. Oraa tua como ator, ora favorece o mercado. Falta aqui uma reflexão sobre os bens-comuns.


[1] http://european-cultural-heritage-summit.eu/berlin-call-to-action/reference-documents/

[2] https://issuu.com/pedropereiraleite/docs/culturaedesenvolvimento

[3] In http://www.e-cultura.sapo.pt/artigo/23188

Por Pedro Pereira Leite

Dinamizador do Museu Educação Global e Diversidade Cultural
Museu Afro Digital - Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.